O que é Vedanta

A palavra 'Vedanta' significa a culminação ou essência dos Vedas, as escrituras sagradas mais antigas da Índia. Esses ensinamentos compõem a parte final dos Vedas, chamada de Upanishads. Essas escrituras sagradas são o registro das experiências espirituais de muitos sábios da Índia, em sua busca por Deus e pela Realidade Última. Esses sábios permaneceram anônimos porque as verdades que eles ensinaram eram mais importantes do que suas personalidades.

A Vedanta é a base religiosa e filosófica de muitas vertentes do Hinduísmo e seus ensinamentos são universais e impessoais. Os princípios básicos da Vedanta podem ser experimentados e testados por todos os aspirantes espirituais, sejam eles de quaisquer religiões, filosofias, raças ou crenças.

A Vedanta ensina que todas as religiões e filosofias conduzem à meta final, à experiência direta e à realização de Deus. A Vedanta pode ajudar o cristão a ser um cristão melhor, o judeu a ser um judeu melhor, um muçulmano a ser um muçulmano melhor, um hindu a ser um hindu melhor e dessa forma consegue harmonizar todas as crenças e conduz à convivência pacífica de todos os aspirantes espirituais.

Swami Vivekananda Sri Ramakrishna Sri Sarada Devi
Swami Vivekananda Sri Ramakrishna Sri Sarada Devi


A Meta
A Vedanta coloca a realização de Deus e a manifestação de nossa divindade na vida cotidiana. Podemos atingir esse objetivo por meio de métodos chamados Yoga (união com Deus), que canalizam as energias e tendências que todos nós já possuímos. Através da prática espiritual podemos descobrir nosso verdadeiro ser, que não é nosso corpo nem nossa mente. Nosso ser é puro, perfeito e livre, e uno com a própria Divindade.

Deus de acordo com Vedanta
Deus é Existência, Consciência e Bem-aventurança infinitas [Sat-chit-ananda], afirma a Vedanta. Essa realidade transcendente e impessoal, subjacente a tudo que existe, recebe o nome de Brahman. A Vedanta também afirma que Deus pode ser pessoal, assumindo forma humana em diferentes épocas. Deus mora em nossos corações como o divino Ser ou Atman, que não nasce, não morre e não é afetado por nossas falhas ou pelas alterações de nossos corpos e mentes. Puro, perfeito, livre de limitações, o Atman é uno com Brahman. O maior templo de Deus reside no coração do homem e a meta da vida humana é manifestar essa divindade. Consciente ou inconscientemente, todo ser humano caminha para expressá-la, pois ela é nossa verdadeira natureza.

Os Caminhos para Alcançar Deus
Existem várias Yogas, pelas quais todos os aspirantes espirituais, de acordo com sua própria natureza, podem experimentar e perceber sua divindade interior, ou Deus. Há quatro Yogas principais e o ideal é praticar um equilíbrio harmonioso das mesmas:

Bhakti Yoga é para pessoas de natureza predominantemente afetiva. Ensina a desenvolver uma relação de amor e devoção para com Deus, a sublimar as emoções comuns e a transformar em divino o amor humano;

Jnana Yoga é o caminho do filósofo que deseja ir além do universo visível. Ensina o método do discernimento dos valores da vida e a reconhecer a natureza transitória de tudo o que existe no universo. Conduz o aspirante à iluminação espiritual em sua busca da Realidade Última, Eterna e Permanente, que habita o âmago de seu ser;

Karma Yoga ensina o segredo da ação de forma que o aspirante espiritual possa, através do serviço voluntário e altruísta, servir os seres humanos como forma de adoração ao Deus que existe no interior de cada um, e a realizar sua própria natureza divina;

Raja Yoga conduz ao domínio da mente e da natureza psíquica do ser humano em sua busca da causa de tudo o que existe. É o método que conduz à prática da concentração e da meditação com o objetivo de se atingir o Samadhi. É a alma de todas as Yogas e também chamada de "o caminho psicológico da união com Deus".

Seguindo um ou mais destes métodos sob a direção de um mestre, o aspirante pode perceber a existência da realidade divina como sendo sua própria essência e a de todo o universo. Recomenda-se ao aspirante sincero procurar um mestre espiritual qualificado para guiá-lo em sua prática espiritual, pois o caminho que conduz a Deus deve ser adequado à natureza de cada indivíduo para que, assim, esteja protegido das muitas armadilhas que existem no caminho.

A Vedanta ensina que nossa verdadeira natureza é divina. Deus é nosso mais íntimo Ser, uma realidade subjacente a tudo o que existe. A verdade é universal, e a religião é a busca do Ser, a busca de Deus dentro de nós. A Vedanta não nos pede que abandonemos a razão; ao contrário, encoraja uma abordagem científica e racional da religião. Reconhece todas as religiões do mundo como verdadeiras e aceita os ensinamentos de todos os grandes Profetas, Mestres e Encarnações Divinas.

A ética da Vedanta, que reconhece a unidade espiritual de todos os seres, leva paz e harmonia ao mundo religioso e filosófico e promove a tolerância e a cooperação entre seus seguidores.